Amar à distância.

Esta é uma realidade que, cada vez mais se impõe em inúmeras vidas. A escassez de oportunidades no contexto de trabalho e os baixos rendimentos, influenciam por vezes a partida de quem queremos mais perto. Da mesma forma, o intercâmbio de conhecimentos e experiências levam-nos por vezes, a cruzar fronteiras e a conhecer pessoas, podendo encontrar um amor "geograficamente desafiante".


É sabido que o amor não escolhe rostos ou neste caso, moradas.




O meu parceiro(a) vai trabalhar para fora, como vai ser a nossa relação? Apaixonei-me por alguém mas ele(a) vive longe, o que faço? Como um casal consegue sobreviver à distância?


Regra número 1: Não desespere. A globalização e os avanços tecnológicos, permitiram que tenhamos o mundo inteiro "a um pulinho de distância".


Atendo alguns casais que me chegam ao consultório com a iminência deste desafio em mãos e o desafio ainda não está em mãos e as preocupações e ansiedade que gera esta mudança já é tanta que o casal começa a comunicar ineficazmente.


Uma das crenças que estão mais enraizadas é que as "relações à distância simplesmente não funcionam". Acreditamos que a distância é um "bicho-papão" que vai destruir completamente tudo de bom que foi construído anteriormente.


A verdade é que nem tudo é mau nesta condição de relação, existem também algumas vantagens que favorecem o casal e o fortalecem. Alguns pontos positivos de uma relação à distância:


1. Estimula a criatividade do casal ( o casal tende a encontrar novas formas de manutenção e cuidado com a relação)

2. Protege o desejo e o erotismo (o sentir falta do outro, estimula o desejo e contorna a monotonia sexual)

3. Oportunidade de melhorar a comunicação (uma relação à distância exige mais e melhor comunicação entre casal, já que a presença física é mais escassa. Isto leva a que ambos possam revelar-se mais, dando potenciando a intimidade e cumplicidade do casal).

4. Maior qualidade na vivência do tempo que se passa junto. Cada encontro é planeado, sonhado e desejado e por isso mesmo, vivido mais intensamente até porque ocorrem mais pontualmente;

5. As saudades que provêm da imposição da distância, reforça os laços, promove o desejo e potencia a união para um objectivo comum.

Não se quer com isto dizer, que uma relação à distância tem só pontos positivos. Sabemos de antemão que é uma situação extremamente desafiante para ambos os elementos. É preciso aprender a gerir inseguranças, frustrações e o convívio nem sempre é fácil, mas se o casal estiver alinhado e unido, consegue superar e encontrar um ponto de equilíbrio ideal para um relação firme e estável.


Dicas para gerir uma relação à distância.


  • Seja casa. (O/a seu/ua companheiro/a está afastado/a de todos os amigos e laços familiares e vai precisar que você seja o "porto de abrigo" que ele precisa nos dias mais exigentes);

  • Partilhe o seu dia-a-dia. É muito importante que partilhe o seu dia. Fotos e mensagens ao longo do dia são necessárias, para que ambos se continuem a sentir incluídos na vida um do outro;

  • Planeiem as viagens com antecedência. Uma relação à distância é um pouco dispendiosa, portanto, vão precisar de organização prévia para conseguirem bons orçamentos;

  • Invista em surpresas. O bom da distância ,é que ela promove a criatividade, portanto tire proveito disso, e surpreenda o seu/ua eu parceiro/a;

  • Use e abuse das tecnologias. Numa relação à distância, existem coisas que vão passar a fazer parte da sua rotina: andar com o telemóvel sempre por perto; estar em videochamada Whatsapp no meio da rua; tirar fotos a pormenores ridículos; rir para o telefone , entre outras.

  • Seja sempre genuína/o. Seja honesta/o se está triste, com saudades, em conflito interno, partilhe e converse sobre isso. Não tente esconder, lembre-se que, o que os olhos não veem a mente imagina a dobrar.


“Se a distância for uma realidade, faça do amor, uma ponte.



#dicas #psicologia #psicologiapositiva #vantagens #amoràdistância

4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo